07 setembro 2016

o homem nada é

Sob Teu olhar está o homem, pó da terra.
Este, que lança-se ao chão
e implora teu favor.
Que é o homem?
Que tens, em Teu cuidado,
guardado em potentes mãos?
Que é o homem?
Para que te inclines e,
do soberano trono, ouças
seus clamores aflitos?
Para que o visites pela manhã
e o ampares no ocaso?

O homem, cuja vida
como vapor se esvai
e cujos dias são passageiros,
como nuvem se desfaz,
- este homem - não é digno de Ti
e não Te encontraria
se, descendo de Tua glória,
Tu mesmo não o buscasses.

Nenhum comentário :