16 agosto 2016

saibas o bem esperar

Sabe quando se tem pressa
E muita vontade de viver
E inesperadamente confessas
Que choras, sempre, por querer?

Um bem que, talvez, jamais alcance
Meus pêsames, querida irmã...
Mas não desista! Certa vez disse um poeta
Que o infinito poderá chegar amanhã.

E, se bem fizer, e este infinito chegar a ti.
E te surpreender e fizer sentir
Talvez possas compreender o que é.
Mas sempre ouço, sempre dizem
Que não há o que nos faça igualmente sorrir.

Se é tão bom, querida irmã,
Esse infinito que está por chegar
Não fiques assim, durma bem à noite
Não sacrifique teus olhos, guarda tua lágrima
E saibas o bem esperar.

Nenhum comentário :